quarta-feira, 19 de abril de 2017

Ficheiros da PIDE

Processo de transgressão contra Fausto, requerimentos para espetáculos com Zeca Afonso, Adriano Correia de Oliveira, Padre Fanhais, José Barata Moura, Manuel Freire e outros "baladistas" que aguardavam o parecer da Censura, ou a própria Comissão de Festas acabava por cancelar o espetáculo, devido à pressão exercida pela PIDE.

Os lápis e os carimbos funcionavam quase ininterruptamente pois tudo tinha que passar pelo crivo.

segunda-feira, 10 de abril de 2017

Coimbra Quintet

1ª foto: Fotografia promocional do Coimbra Quintet

Coimbra - meados da década de 1950

Formação artística juvenil com atividade mediática intensa em Portugal e atuações no estrangeiro no período compreendido entre 1954-1958.

A parte instrumental era assegurada por António Portugal (guitarrista solista)/Jorge Godinho (2.º guitarra) e Manuel Pepe/Levy Baptista (vv).

A parte vocal estava a cargo de Fernando Machado Soares (FD/UC, tenor), Fernando Rolim (FM/UC, tenor), José Afonso (FL/UC, 2.º tenor), António Sutil Roque (FM/UC, tenor) e Luiz Goes (FM/UC, barítono).

Fotografia diurna, que pretende simular uma serenata de cortejamento amoroso protagonizada por estudantes da Universidade de Coimbra, captada no núcleo histórico da alta, junto à entrada da Torre d'Anto, não datada [ca. 1955-1956].

Apesar de se tratar de uma encenação, a imagem fixa com rigor o que na realidade era uma serenata nocturna espontânea de cortejamento.

São reconhecíveis a contar do portão:

-Levy Baptista (v);
-António Portugal (gC1);
-Jorge Godinho (gC2);
-Machado Soares (a cantar);
-José Afonso, atrás de Machado Soares, sem óculos.


Daqui:

http://guitarradecoimbra4.blogspot.pt/2016/03/coimbra-quintet.html

Existem gravações deste Quinteto em 1957 e, como se pode ver nesta 2ª foto, Zeca já não se encontra entre os elementos. São eles: António Portugal/Jorge Godinho (gg); Manuel Pepe/Levi Baptista (vv); Luiz Goes/Sutil Roque/Machado Soares (cantores).



Em 1957, Zeca era professor em Mangualde (6-1-1957 a 30-9-1957) e depois em Lagos (28-10-1957 a 22-7-1958)

sexta-feira, 7 de abril de 2017

Rui Pato e Zeca Afonso - discografia

Discos originais de José Afonso que teve Rui Pato como viola (começou a acompanhar Zeca em 1962, no EP "BALADAS DE COIMBRA" - Discos Rapsódia Lda. (EPF 5.182), e acabou essa participação em 1969 no álbum "CONTOS VELHOS, RUMOS NOVOS") aqui fica toda a parceria entre Rui e Zeca.

BALADAS DE COIMBRA 1962
1 - Menino d'Oiro
2 - Tenho Barcos, Tenho Remos
3 - No Lago do Breu
4 - Senhor Poeta
https://www.youtube.com/embed/zlBexFkUy2w

BALADAS DE COIMBRA 1963
5 - Os Vampiros
6 - Canção Vai... e Vem
7 - Menino do Bairro Negro
https://www.youtube.com/embed/GUGD20GHFR0

CANTARES DE JOSÉ AFONSO 1964
8 - Coro dos Caídos
9 - Canção do Mar
10 - Maria
11 - Ó Vila de Olhão
https://www.youtube.com/embed/IMLxwuTAxG8

BALADAS E CANÇÕES 1964
12 - Canção Longe
13 - Os Bravos
14 - Balada Aleixo
15 - Balada do Outono (instrumental)
16 - Trovas Antigas
17 - Na Fonte Está Lianor
18 - Minha Mãe
19 - Altos Castelos
20 - O Pastor de Bensafrim
21 - Canto da Primavera (instrumental)
22 - Elegia
23 - Ronda dos Paisanos
https://www.youtube.com/embed/aWVYvnYopqU

CANTARES DO ANDARILHO 1968
24 - Natal dos Simples
25 - Balada do Sino
26 - Resineiro Engraçado
27 - Canção de Embalar
28 - O Cavaleiro e o Anjo
29 - Saudadinha
30 - Tecto na Montanha
31 - Endechas a Bárbara Escrava
32 - Chamaram-me Cigano
33 - Senhora do Almortão
34 - Vejam Bem
35 - Cantares do Andarilho
https://www.youtube.com/embed/APml_stciag

MENINA dos OLHOS TRISTES 1969
36 - Menina dos Olhos Tristes
37 - Canta Camarada
https://www.youtube.com/embed/l1W8smsby-o

CONTOS VELHOS RUMOS NOVOS 1969
38 - Bailia
- Oh! Que Calma Vai Caindo (Zeca canta "a capella")
39 - S. Macaio
40 - Qualquer Dia
41 - Vai, Maria Vai
42 - Deus Te Salve, Rosa
43 - Lá Vai Jeremias
44 - No Vale de Fuenteovejuna
45 - Era de Noite e Levaram
46 - Já o Tempo Se Habitua
47 - A Cidade
https://www.youtube.com/embed/tFgtIUR5NxM

Rui Pato teve outras participações a solo, em reedições dos discos do Zeca, como "SELECÇÃO DE BALADAS" e "CANÇÃO LONGE" no EP BALADAS DE COIMBRA - Discos Rapsódia Lda. (EPF 5.437 - 1969)
(reedição do EP de 1963 com alterações no alinhamento)

Obs: A "CANÇÃO LONGE" deste EP não consta em nenhum local como Instrumental. Pode-se ouvir esse tema aqui.



No total são 49 temas contando com os "instrumentais" referidos nesta reedição.

Os endereços do youtube que estão nesta listagem, são dos vídeos dos temas respetivos.

Discografia completa de José Afonso

http://discografiajoseafonso.blogspot.com/

quinta-feira, 30 de março de 2017

terça-feira, 28 de março de 2017

Caxias - 1973

«A última vez que fui preso, tinha ido esperar o meu pai ao aeroporto. Vim para casa, dormi mal e, no dia seguinte, bateram à porta. Estávamos em Abril de 1973 (30 de Abril). Foi o meu filho Zé Manel a abrir a porta. O inspector apresentou-lhe o "crachat" da polícia, e ele voltou displicentemente para a sala a dizer: "Ó pai, é a prestimosa". O tipo entrou, fizeram a vasculhação e levaram-me para Caxias.

Fiquei lá uns tantos dias (...) A partir do sexto dia, deram-me papel e comecei a escrever várias coisas (Zeca também tinha pedido um gravador que lhe foi negado).

Do ponto de vista físico, não me chatearam nada. Num interrogatório, fizeram alusão de que tinham possibilidades de saber por outros meios aquilo que eu não queria dizer, mas não passaram disso.»

A 19 de Maio, foi libertado mediante a caução de 10 mil escudos, para «aguardar em liberdade a conclusão do processo»

in "Livra-te do Medo" de José A. Salvador

Imagens. relatórios da PIDE e os pedidos de Zeca de livros e gravador.

segunda-feira, 27 de março de 2017

Dia Mundial do Teatro - Teresa Torga

José Afonso fez dela uma canção. A história de uma mulher desesperada e triste que se despe na via pública em 1975. Uma mulher de 41 anos, divorciada, sucessivamente actriz de revista, emigrante no Brasil, cantora de fado e no intervalo de tratamento no Júlio de Matos, "mudava discos no pick-up" de uma boite de Benfica.

Usava o nome de Teresa Torga "porque há um escritor que se chama assim" e ela gostava muito de ler, conta uma vizinha.

Zeca Afonso leu a notícia no jornal e fez a canção que todos nós conhecemos.




Fontes:

http://clone45.blogs.sapo.pt/113363.html

http://desenvolturasedesacatos.blogspot.pt/2015/05/teresa-torga-liberdade-mas-nao-para.html

http://diasquevoam.blogspot.pt/2010/12/teresa-torga.html


Podemos agora ouvir dois temas desta atriz que Zeca imortalizou na sua canção Teresa Torga, canção que se tornou um clássico da luta pelos direitos da mulher em Portugal.