sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

3º Congresso da Oposição Democrática

7 de abril de 1973

Zeca Afonso e José Jorge Letria no 3º Congresso da Oposição Democrática em Aveiro.

Foi a primeira vez que Zeca cantou "O QUE FAZ FALTA", ainda com um papelinho rascunhado... (informação de Joaquim Paleta)

Recorte do jornal República enviado por Joaquim Paleta (encontra-se atrás dos cantores)

sábado, 13 de janeiro de 2018

Círculo Mercantil de Santiago de Compostela

Evento realizado no Círculo Mercantil de Santiago de Compostela* em 1973.

* O meu agradecimento a Iria Méndez por ter identificado o local

Podemos ver para além do Zeca, o Benedicto, Manuel Freire e José Jorge Letria.

quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

Praza da Quintana em Santiago de Compostela

Zeca com Francisco Fanhais, José Jorge Letria e Benedicto na Praza da Quintana* em Santiago de Compostela. Ano 1973.

* O meu agradecimento a Iria Méndez pela identificação do local.

quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

Círculo Cultural de Setúbal

Círculo Cultural de Setúbal em ano omisso.

Uma delas está em várias biografias como sendo Zeca professor. Não é. São todas do mesmo local e do mesmo momento.

A senhora que aparece em primeiro plano, Maria Emília Dimas, é a esposa de Dimas Pereira (já falecido) que acompanhou em acordeão Zeca no single “Viva o poder popular” (1975) e no LP “Enquanto há força” (1978).


terça-feira, 5 de dezembro de 2017

Serenata

"O Carlos quis pagar os favores amorosos de uma moça de Lisboa, desinibida, que passava uns dias em Coimbra (...) hospedava-se numa casa isolada, duma pequena quinta, para as bandas da Arregaça.

O Zeca Afonso foi o único cantor disponível. Tocadores o próprio dom juan, o Abreu Lima, que estreava uma guitarra nova e, à viola, o Mário Barroso.(...) Numa janela (da quinta), bruxuleava uma vela... Não podia haver cenário mais propício.

Nessa noite, o Zeca excedeu-se: Aquela Moça da Aldeia, o Sol Anda lá no Céu, Solitário, Incerteza, Mar Largo, ... todos os fados que habitualmente cantava, por quadrarem bem à sua voz. Foram momentos irrepetíveis! Naquele cenário mágico, de luminoso silêncio, o seu cantar inspirado atingiu uma interioridade que só mais tarde, nas baladas com o Rui Pato, lhe voltaria a encontrar"

António dos Santos e Silva in "Zeca Afonso, antes do mito"

foto antiga de uma Serenata

sábado, 2 de dezembro de 2017

Avenida de Angola

"Sem sentimentalismos, sem rodeios, como o Sr. José Afonso era. O Zeca, o nosso Zeca, porque faz parte do imaginário contestatário, do gira-discos, do canto amigo. O Zeca foi e será sempre um exemplo de simplicidade, de convicção (mesmo quando dizia que nem sequer gostava de cantar!). É assim o amigo da minha adolescência, o amigo do meu canto, da minha busca pessoal.

Não trazemos nada de novo, vimos apenas lembrar. Até logo, companheiro! "

Cristina Branco


terça-feira, 28 de novembro de 2017

"A noite em que José Afonso..."

"A noite em que José Afonso influenciou uma canção dos Pet Shop Boys"

Há um single editado pelos Pet Shop Boys já neste século que nasceu de uma tentativa de fazer uma versão de uma canção com letra popular e música de José Afonso…

Uma noite, a dupla, depois de jantar, passaram por um bar no qual encontraram um grupo a tocar canções portuguesas (na cidade do Porto). Gostaram de uma delas em particular, que era nada mais nada menos do que As Sete Mulheres do Minho, com letra popular e música de… José Afonso.

Gostaram mesmo tanto que tentaram criar uma versão que contudo não lhes saiu tão bem como o desejado, acabando por compor Together, diretamente inspirado por este tema que podemos encontrar no alinhamento do álbum Fura Fura… Mas que caminhou para uma dimensão pop eletrónica, muito dançável e bem atual. E que Chris Lowe confessa que lhe soou mais a coisa russa, daí o teledisco então criado para apresentar esta canção que nasceu para que houvesse um inédito no alinhamento de Ultimate, um best of editado em 2010.

daqui: https://maquinadeescrever.org/2017/11/01/a-noite-em-que-jose-afonso-influenciou-uma-cancao-dos-pet-shop-boys/#prettyPhoto

Este é o tema que foi inspirado nas Sete Mulheres do Minho. Não tem nada a ver, mas conta a intencionalidade.